Morre aos 94 anos Jornalista Léo Miglioli da Rádio Sentinela do Vale - Rádio Sentinela do Vale

Gaspar / SC
23 de Outubro de 2021

Página Inicial Rádio Sentinela do Vale!

Rádio Sentinela do Vale

Programação

Musical Sentinela

13:00h

Musical Sentinela

Ouça Agora

É DISTO QUE O POVO GOSTA

15:00h

É DISTO QUE O POVO...

Na sequência

Santa Missa

19:00h

Santa Missa



Morre aos 94 anos Jornalista Léo Miglioli da Rádio Sentinela do Vale

31/08/2021 07:08

Faleceu às 18h40min, de segunda-feira, 30, no Hospital de Gaspar, com idade de 94 anos, o Srº Leopoldo Miglioli (Jornalista Léo da Rádio Sentinela), morador do bairro Sete de Setembro. Deixa 02 filhos e 02 netos. O velório foi velado na Capela Mortuária Bom Pastor, com celebração de corpo presente às 16h, pelo Ministro da Eucaristia Adelírio Benvenutti, seguindo após para o Cemitério Municipal de Gaspar. 

Histórico

Leopoldo Miglióli é cidadão Catarinense de Rodeio, nascido em novembro de 1926, município de colonização italiana. A tradição europeia perdura até hoje. Foi batizado por Frei Bruno Linden, frade franciscano que viveu a maior parte de sua vida no Oeste Catarinense e Vale do Itajaí, que está no processo diocesano de Beatificação e Canonização. Lá, Miglióli cursou o ensino fundamental em idioma italiano por falta de professores que dominassem o vernáculo.

            Com muita vontade de estudar fingiu que tinha vocação para padre. E lá foi Leopoldo Miglióli (hoje conhecido como Jornalista Léo) estudar no seminário franciscano, Rio Negro, Paraná.

            Três anos depois retorna a Rodeio: trabalha como auxiliar de pedreiro, balconista e vendedor de sorvetes externamente, entre os 14 e 16 anos.

            De Rodeio vai a Blumenau trabalhar como garçom.

            De Blumenau para o Rio, onde serve o exército.

            Ao dar baixa, emprega-se no Touring Club do Brasil e reinicia os estudos, horário noturno no SENAC.

            Prossegue nos estudos: forma-se em Administração, depois Jornalismo. Prepara-se durante um ano para concursos e submete-se a quantos aparecem.

            O primeiro para escriturário da Caixa Econômica Federal, realizado no Maracãzinho, conquistou a 6° colocação entre cinco mil candidatos.

            A seguir no BNDS, em 42°; Petrobrás em 1° lugar! E professor do ensino comercial, também em 1° lugar (provas, escrita e prática, perante banca examinadora composta de três catedráticos de notável saber. As provas eram para professor do SENAC, instituição educacional que lhe dera oportunidade de prosseguir nos estudos na adolescência depois de 15 anos de ausência dos bancos escolares.

             De ex-aluno do SENAC, conquistou o cargo de Professor por concurso de que participaram 78 candidatos, título que exibia orgulhosamente, na abertura do ano letivo, para estimular os alunos do próprio SENAC do qual fora aluno.

            Esses concursos públicos o habilitaram a trabalhar em três instituições simultaneamente:

            Revista Touring; professor do SENAC, e Petrobrás, com carteira profissional anotada nos três empregos. Na Revista Touring foi subordinado ao escritor Berilo Neves; autor de 25 títulos!

            E na Petrobrás ao Gen. Ernesto Geisel, onde exerceu vários cargos, entre eles o de Diretor de Mídia e assessor de imprensa, diretamente ligado à Presidência da Estatal. Da Petrobrás, Geisel foi para Brasília, para exercer a Presidência da República, eleito que foi por votação indireta, para o período de 15-03-74 a 15-03-79.

 Carreira Profissional

               De escriturário, reclassificado para a função de Correspondente, Redator-Chefe, acumulando essas funções com a de Chefe de Publicidade; mais tarde Editor da Revista Brasileira de TurismoRevista Touring cuja tiragem de 300 mil exemplares absorvia 70 toneladas de papel cuchê.

         O jornalista Léo fez uma série de reportagens sobre SC, em sua gestão, num tempo em que a mídia nacional pouca importância lhe dava. Nem aparecia nos jornais do Rio e São Paulo. Numa só edição dedicou-lhe 29 páginas sobre economia e turismo do Estado Catarinense.

         O radialista Benvindo Miglióli, (irmão) numa oportunidade declarou:

         “Com esses trabalhos de divulgação de Santa Catarina na Revista Brasileira de Turismo, de circulação nacional, o Jornalista Léo poderia eleger-se Deputado Federal...”

         Só numa edição de 96 páginas, certa vez, SC ocupou 29 páginas em policromia, o que lhe valeu um puxão de orelha do presidente da Revista Touring, o então escritor Berilo Neves.

         Durante a gestão de 15 anos na qualidade de Editor-Superintendente da Revista Touring, o Jornalista Léo exaltou como ninguém jamais o fizera as belezas e atrativos turísticos de Santa Catarina, em extensas reportagens em edições sucessivas.

         SC era pouco conhecida no cenário nacional. E a grande imprensa não lhe dava espaço jornalistico. Foi o Jornalista Léo o primeiro a divulgar a neve e inicipiente o cultivo de maçãs de São Joaquim.

         No Rio de Janeiro o catarinense de Rodeio brigava por espaço na mídia dos grandes jornais e revistas.

         Os 562 km do litoral catarinense, com suas praias, baías e reentrâncias foram alvo de amplas e repetidas reportagens ilustradas.

         O Vale Europeu (Blumenau, Itajaí, Brusque, Ibirama) foram beneficiados com generosos espaços. Florianópolis, então, teve edição especial, vê-la é amá-la e amá-la é não a esquecer nunca, no cenário nacional foi lema da edição. Frase que marcou a Capital catarinense.

         Os atrativos constituem verdadeiro descanso para o corpo e lenitivo para o espírito, conclui o cidadão que nasceu no ano em que foi inaugurada a ponte Hercílio Luz – 1926 – comprada nos Estados Unidos e paga em 50 anos. No momento em recuperação. Está desativada há 30 anos dos 86 da construção. Esse símbolo de SC não pode desaparecer, porque além de ser a maior atração do turismo da província é útil à mobilidade da Capital.

Jornalista Léo, era conhecido na Rádio Sentinela com os seus Colóquios e Sinopes noticiosas, que diariamente fazia às 11h30min, na programação da Sentinela, onde destacava diversos assuntos atuais ou históricos.

Confira o vídeo de homenagem dos 65 anos da Rádio Sentinela, com os colóquios do Jornalista Léo, Click aquiJornalista Léo, ao lado de sua filha, também jornalista Sandra Luisa Miglioli, comemorando os seus 94 anos de idade, no dia 09 de novembro de 2020.  Léo lutava contra o Alzheimer, doença que afeta a memória, o comportamento e outras funções mentais de forma progressiva. Nos estágios mais avançados, impede a pessoa de exercer suas atividades diárias, reconhecer os outros e se comunicar adequadamente. Mesmo com a doença ele estava lúcido e continuava acompanhando a Rádio Sentinela de sua casa.

    Leopoldo Miglióli, conhecido por Jornalista Léo, recebeu em 2015, o Título de Cidadão Honorário, a indicação foi feita pelo vereador Hamilton Garff. Em sua fala Jornalista Léo disse que sempre teve a vondade de ser jornalista e acabou sendo, fez o curso de jornalismo no Rio de Janeiro e ficou muito feliz e emocionado por ser reconhecido e homenageado pela casa legislativa gasparense o que nos envaidece e emociona”.

Jornalista Léo fez parte do Conselho Fiscal da Acaert na gestão da radiodifusora Marise Westphal Hartke e sempre fazia questão de particiar das reuniões e eventos promovidos pela entidade.

Em 2010, o Jornal Cruzeiro do Vale promoveu a  primeira noite de gala e entre os homenageados  estava o diretor da Radio Sentinela, Leopoldo Miglioli (jornalista Léo). No momento das homenagens várias pessoas ficaram surpresas com a história de vida deste gasparense de coração, que de um simples operário tornou-se o diretor da Rádio Sentinela do Vale.

Todos os direitos reservados © 2021

| Rádio Sentinela do Vale - Rua São Pedro, 245 - Centro / Gaspar | Telefone: (47) 3332-0783

by SoftD